sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Tijolos poéticos de Carlinhos Brown


De volta e chutando, Vânia Valerie (pronuncia-se "Valerrí").


No capítulo anterior, vimos algumas barbáries líricas cometidas por Nando Reis, a galera do Ira! e do Nenhum de Nós. Agora vamos a um nome que merece um post à parte. Ele toca muita percussão, é um gênio em idéias musicais... mas na hora em que abre a boca e/ou escreve letras... salve-se quem puder. Parceiro de Caetano Veloso, Sepultura, Marisa Monte, Paralamas, Daniela Mercury e mentor da Timbalda. Sim! Ele mesmo!! É o Carlinhos Brown (ou Carlito Marron?)! Analisemos várias amostras de seu trabalho para tentar achar um pingo de nexo (um pinguinho bem inhozinho já vale!!!!!) em alguma coisa que ele escreveu.




Vamos começar com a salutar frase de "Uma Brasileira", composição que os Paralamas do Sucesso gravaram em seu álbum Vamo Batê Lata:



"E esse ão de são hei de cantar naquela canção one more time".


Vale a ressalva que, na música, a frase é cantanda, primeiramente por outro mestre do non-sense da música brasileira: Djavan. Mas, voltando à vaca fria, que diabos isso quer dizer? Hum... talvez seja porque, quando estamos gripados, não conseguimos falar o "ão" direito nem cantar e, ao ficarmos sãos, conseguimos pronunciar o fonema corretamente e conseguimos cantar mais uma vez ("one more time").



Inclusive, ele evoca o mesmo estado gripal em sua letra "Vitamina Ser" (sacou o trocadilho? Vitamina C/ Ser? Hein? Hein?)



"Pente, escova de dente, remédio para gripe, lavanda e sabão".



Minha mãe também escreve isso na lista da farmácia. E ainda há na mesma música a expressão "Oxum by me". Seria isso o espirro de um orixá? Uma tentativa de buscar a mesma sonoridade de "caxumba"? A mãe das entidades está gripada e, por isso, ao invés das tradicionais oferendas ele vai à Droga Raia comprar os itens da listinha acima exatamente como minha mãe compraria? Ou estaria Brown simplesmente ensinando inglês para Oxum tornar-se um ícone religioso internacional como Jesus, Maria e Maomé (porque ninguém se globaliza falando só português e iorubá). Por que causa, motivo, razão ou circunstância ele não deixa a esposa de Ogum em paz, by herself?????




Gostaria de incluir também uma música de Brown feita "pra pular" na voz de Daniela Mercury: Rapunzel, do álbum Feijão com Arroz. A parte instrumental da música é absurdamente boa, trocentos instrumentos, um rítmo forte, um arranjo muito bem feito... mas alguém, por misericórdia, pode me dizer o que vem a ser


"No calendário é flor e anda"?


E a Rapunzel entra na história junto com Romeu e Julieta dando um grito grão no bololô e sondando o brocotó do ti-ioiô, já que no barracão tem sossego. E vamo simbora na ladeira, vamo simbora na lagoa.



Reza a lenda que o simpático peixinho da Babel Fish, depois de tentar decifrar Carlinhos Brown, pediu demissão da Yahoo.

5 comentários:

Ind Caroline x) disse...

kkkkkkkkkkkk...
vc é uma desvendadora dos segredos musicais brasileiros... huaheuehua
UhuuuL
q beleeza...
BeeijO

Anselmo disse...

ótima foto do Carlinhos

Giovana Vincenzi disse...

Também achei a caricatura uma graça! :o)

Augusto Mota disse...

hahahahahahaaha... Posso colocar esses seus posts no meu blog ? Pode deixar que ponho link...

mauricio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.